EDIÇÃO nº 952 | 15/06/2018

EDIÇÃO nº 952 | 15/06/2018

Você tem visão para enxergar oportunidades?

 

Mesmo em um mundo repleto de incertezas, existem muitas possibilidades e oportunidades para quem realmente deseja virar o jogo na própria vida.

Há algum tempo a experiência de uma amiga chamou a minha atenção. Ela é uma mulher poderosa, de sucesso, reconhecida internacionalmente e tinha uma novidade maravilhosa para contar. Havia recebido um prêmio de tecnologia, mas ela mesma não se reconhecia uma profissional notável por seu talento e falou: “Na Alemanha eles me tratavam como se eu fosse o máximo, o meu projeto foi considerado o melhor do mundo, sentei entre todos os ministros e fiquei próxima à presidente da Alemanha. Eu era a única ali que não teve o apoio e a força de uma família estabilizada financeiramente. Leila, eu já passei fome e estava ali comendo à mesa dos reis. Após um glamoroso evento, eu saí daquele lugar e fui para um hostel, bem simples, pois cheguei até lá com muito sacrifício, às minhas custas, mas…”.
Fiquei observando o discurso contraditório. Pena que mesmo com o grandioso reconhecimento do seu esforço, inteligência, dedicação e trabalho, ela não se permitia ser feliz e gozar a experiência do momento, curtir a realidade atual e usufruir das suas conquistas. E sabe por quê? Simplesmente porque ela se mantinha presa a uma série de ressentimentos que a impediam de viver o presente! É como se ela vestisse uma roupa de grife, mas pelo avesso. Já pensou nisso?
Tudo tem a “trama do avesso”! E isso é lindo, pois esse “avesso” é a riqueza de cada um de nós, é o seu aprendizado, o seu grande diferencial e, muitas vezes não dá ou não tem sentido explicar ou expor para todo mundo, pois é a sua intimidade, sua própria identidade. Saber o avesso e o direito da vida faz toda a diferença, mas é preciso exercitar a inteligência e a intuição para saber quando usar o direito e o avesso. Com as minhas andanças, pesquisas e estudos comportamentais, cheguei à conclusão que este é um dos segredos para virar o jogo na vida e ser feliz.
Para dar bem-sucedidas viradas de jogo em todas as áreas da vida, não basta pensar fora da caixa. É preciso visão ampliada para aproveitar a oceano de possibilidades. É imprescindível desenvolver uma mente inovadora, com potencial de transformação. A falta de visão para se posicionar na carreira, nos negócios ou na vida tem sido um entrave na vida de muitas pessoas.
Voltando à minha amiga, ela contou que só desenvolveu o prestigiado projeto porque a sua tese foi roubada e, por isso, teve que encontrar outro gestor que permitisse a implantação do seu trabalho. Entre um contato e outro, encontrou uma empresa. Ela nem sabia que a tal organização fazia parte de um grupo internacional francês que adorou o trabalho, implantou em parte da sua rede de lojas e dedicou a ela um reconhecido prêmio. Eu estava radiante com as conexões do Universo na vida dessa mulher, mas, como que acordada de um sonho eu escutei: “Mas, você sabe que eu não ganhei nada financeiramente com isso? Eles me deram uma bolsa de estudo para um curso de pós-doutorado na melhor universidade do mundo, mas eu sou arrimo de família e não posso ficar dois anos na Alemanha!”.
Parei, pensei um pouco e não consegui evitar duas perguntas! Você acha pouco uma bolsa de estudos em outro país? Ser arrimo de família a impede de realizar um salto quântico na sua carreira? Entendo que cada pessoa tem o seu histórico, tem a sua realidade, mas também tenho plena convicção de que cada um de nós pode transformar a sua própria realidade. A minha amiga, você e eu temos uma missão importante neste Planeta, mas a forma como isso é direcionado faz total diferença. O que você tem feito com as oportunidades que a vida oferece?
Leila Navarro – palestrante

 

Acesse o novo Portal de Servicos do Governo Federal
com o certificado ICP-Brasil

 

Já está disponível, desde o último mês, o novo Portal de Serviços Digitais do Governo Federal – www.servicos.gov.br. Com a reestruturação da plataforma, informações sobre 1.748 serviços, de diversas áreas do governo, que podem ser feitos online, estão centralizadas em um site único. O objetivo da ação é, além de reduzir custos, desburocratizar e melhorar o atendimento aos cidadãos e as empresas.
A ideia é que, por meio da internet, as pessoas possam consultar extratos, agendar perícias, dentre muitas outras atividades. Estima-se que 90% dos custos do cidadão sejam reduzidos, com a diminuição do tempo utilizado, redução do pagamento de taxas e de deslocamentos. De acordo com o Ministério do Planejamento, a economia para os usuários desses serviços pode chegar a R$ 144 milhões anuais.
Muitos dos serviços disponíveis podem ser acessados com certificado digital da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. Há ainda a possibilidade de envio de documentos assinados digitalmente com certificado, como por exemplo, o envio de escrituras para o Sistema Público de Escrituração Digital, que faz uso da certificação digital para fins de assinatura das escriturações eletrônicas, para garantir a validade jurídica do documento.
A assinatura digital também é utilizada na plataforma para emissão online do Certificado Veterinário Internacional, para aqueles que desejam viajar para outro país com o seu cão ou gato. O portal reúne ainda, atividades que somente podem ser acessadas por meio da certificação digital, como por exemplo, o parcelamento de débitos junto à Receita Federal. Fonte: ITI

 

Ser digital significa ser mais humano

 

Os espólios da economia digital irão para as empresas que se concentrarem primordialmente nas pessoas, e que mantiverem a tecnologia como uma válvula propulsora da economia e auxiliadora do capital humano. Ao discernir as verdadeiras necessidades dos clientes e, posteriormente, a utilização da tecnologia, será possível desenvolver soluções eficazes, personalizadas e aplicáveis para cada área de negócios.

O fato é que estamos vivenciando uma verdadeira transformação digital, e colocar os clientes em primeiro lugar não diminui a importância da tecnologia. Em vez disso, uma compreensão profunda do cliente deve ajudar a orientar a escolha das tecnologias a ser incorporadas. É claro que a organização pode ter uma grande estratégia de dados, infraestrutura, mídia social, mobilidade ou mesmo uma ampla estratégia digital. Tudo isso é importante, mas não deve ser o ponto de partida.
Quando a estratégia digital de uma organização é, em grande parte, um resumo de como ela utiliza as muitas tecnologias disponíveis, isso é um sinal claro de que a empresa está focada unicamente na tecnologia, em vez de colocar as pessoas em primeiro lugar. Assim, a primeira pergunta que os executivos devem fazer a si mesmos, quando pretenderem embarcar em uma transformação digital, não é tecnológica, mas humana: que diferença devemos fazer na vida dos nossos clientes?
Para entender verdadeiramente as pessoas, deve-se explorar o campo de humanidades, que contempla conhecimentos da produção criativa humana, estudados por disciplinas como Filosofia, História, Antropologia, Filosofia e Ciências Sociais. Já em relação à tecnologia, os executivos devem se dedicar fortemente ao desenvolvimento e análise de software.
Contudo, o que se torna imprescindível é que os grandes líderes empresariais combinem essas duas abordagens, ou seja, devem construir equipes e organizações que incorporem a visão de que, para as empresas se tornarem mais digitais, precisam se tornar mais humanas. Por isso, é importante aplicar os três pilares a seguir no dia a dia das organizações, para que elas desenvolvam uma visão clara e orientada ao cliente.
- Entender as pessoas e suas necessidades: as empresas devem ter uma visão clara e orientada ao cliente; - Apostar em tecnologias disruptivas: as empresas precisam ser digitais, e não apenas fazer o digital; - Interagir com seu público de interesse de forma proativa: certificar-se de que as duas perspectivas – pessoas e tecnologia – coexistam nas mesmas equipes de projeto.
Vale ressaltar que este olhar mais humano deve ser aplicado também aos clientes internos. É muito importante que as organizações olhem de uma forma mais personalizada para os seus colaboradores, entendam as suas reais necessidades e trabalhem em ações que efetivamente as suprirão, ao invés de proverem um tratamento massificado. Trata-se, certamente, de um grande desafio, e cada vez mais presente no cotidiano das empresas. Fonte: Administradores.com

 

Como funciona a aposentadoria especial e quem pode ser beneficiado?

Muitas das pessoas que realizam trabalhos arriscados não possuem conhecimento sobre a aposentadoria especial, um direito de empregados que trabalham em situações prejudiciais à saúde ou a integridade física. Esse benefício pode ser requerido por pessoas de diversos setores e também por trabalhadores autônomos, mas existem algumas regras para que sejam aprovados. 

O advogado Victor Sousa Nascimento, do escritório Martins, Cabeleira & Lacerda, esclarece algumas dúvidas sobre como e quando este recurso pode ser solicitado. As atividades que atendem a aposentadoria especial têm riscos diferentes e são tratadas de maneiras diferentes, o tempo de contribuição para elas pode variar de 15 a 25 anos dependendo da complexidade. "Esse tipo de aposentadoria é mais frequente entre trabalhadores metalúrgicos e profissionais da indústria, porém, também tem sido bastante recorrente em profissionais do setor de serviços, sobretudo nas áreas de saúde e de vigilância", o advogado explica.
O item mais importante é o Perfil Profissiográfico, um documento que a própria empresa deve emitir e fornecer aos funcionários. Esse documento tem como base Laudo Técnico que deve ser elaborado por um médico ou engenheiro de segurança do trabalho e descreve as atividades realizadas pelo funcionário e também as condições ambientais do trabalho. "Não é necessário comprovar o trabalho em condições de periculosidade e insalubridade, bastando o trabalho em qualquer destas condições prejudiciais à saúde para a concessão da aposentadoria", Victor relata.
O pagamento das taxas é realizado normalmente, como qualquer outro trabalhador. No entanto, devido às condições dos trabalhos realizados, o tempo de contribuição é menor. O advogado explica que a maioria das atividades exige no mínimo 25 anos de tempo de contribuição, com exceção das atividades com exposição a agentes químicos como amianto e trabalhos com mineração subterrânea, que exigem 20 anos de tempo de contribuição.
A aposentadoria especial é o tipo de benefício mais negado pelo INSS, por isso é importante que o requerente tenha em mãos os documentos necessários, como as comprovações de pagamentos e especialmente o Perfil Profissiográfico relativo a todos os períodos que trabalhou exposto a essas condições de trabalho e conferir se as informações descritas estão corretas. Ainda assim, é possível que o órgão público tenha alguma dúvida a respeito da veracidade das informações e busque por contraprovas, abrindo processo administrativo. Fonte: Segs

 

 

 

Dúvidas de Seguros

A vistoria prévia feita pela seguradora caracteriza aceitação do seguro pela seguradora?

Não. A vistoria prévia simplesmente significa a faculdade do segurador analisar o risco que se responsabilizará no caso de aceitação do seguro.

 

Saúde

Por que comemos mais no frio ?

Você já se perguntou por que comemos mais no frio? Além da fome, temos mais vontade de provar aquelas delícias mais calóricas. Ana Luisa Vilela, nutróloga especialista em emagrecimento da Clínica Slim Form de SP, explica o motivo para essa situação, dá uma olhada!
Maior gasto de energia - “O gasto energético nessa época do ano é maior, já que o organismo se esforça mais para manter a temperatura corporal estável. Esse aumento de apetite é uma resposta do corpo que solicita mais energia, e a resposta disso é a ingestão de mais alimentos que, muitas vezes, são mais calóricos”, explica a nutróloga.
Ela afirma ainda que nessa época a vontade que prevalece é a de alimentos mais gordurosos e açucarados. “Os excessos nas gorduras são resultado da necessidade do organismo de produzir serotonina: neurotransmissor que promove a sensação de bem-estar, que é diminuído principalmente em pessoas que não se sentem confortáveis com as temperaturas mais baixas”, comenta.
Entretanto, é necessário tomar cuidado com esses excessos para evitar problemas de saúde. Confira as dicas da especialista para lidar com a vontade de comer no frio:
Como ter uma alimentação saudável no frio
– Evite sopas muito gordurosas;
– Aproveite essa época para tomar chás. Além de ajudar a aquecer, eles dão a sensação de bem-estar e diminuem a vontade de comer doces;
– As frutas típicas dessa época são ricas em Vitamina C e dão a energia que seu corpo precisa;
– Tome cuidado com os carboidratos;
– Se bater aquela vontade de comer chocolate, prefira a versão 70% cacau. Fonte: Viva Saúde

 

Orientação Segura

Passos para construir relacionamentos em vendas

- Não critique, não julgue, não condene. Seja uma pessoa otimista, alegre e de bem com a vida, do tipo que as pessoas querem içar juntas. Se não tiver nada de bom para falar de uma determinada pessoa, simplesmente não diga nada.
- Aceitação, esse é um dos desejos mais profundos do ser humano as pessoas querem se sentir aceitas do jeito que elas são, sem julgamentos ou críticas. Você expressa aceitação sorrindo, sendo caloroso e gentil.
- Aprovação, isso vai além de aceitar, e vai ao encontra das necessidades humanas de ser reconhecido e aprovado, ao procurar constantemente maneiras de elogiar e aprovar os outros, você sempre será bem vindo em qualquer lugar.
- Agradecimento. Sempre que você agradece alguém com um Muito Obrigado, a autoestima dela sobe e a faz sentir-se importante. Você deve ter o hábito de agradecer a tudo e a todos, utilizando continuamente a palavra Obrigado em seu dia a dia.
- Elogio, se ver alguém que faz algo digno de um elogio, não se esqueça de elogiar. Abraham Lincoln disse “Todo mundo gosta de ser elogiado, elogio é o alimento da alma”.
- Concordância, os clientes gostam de vendedores os quais concordem com eles e não aqueles que brigam com eles. Nunca se deve discutir com um cliente, mesmo que você tenha razão, o cliente não irá gostar de ouvir do vendedor que está errado, é melhor ficar calado do que chatear o cliente. Você quer ser feliz ou ter razão?
- Concentração focada no cliente. O simples fato de ouvir com atenção é uma maneira de demonstrar admiração ao cliente, isso quebra a resistência e o cliente percebe que você está interessado em ajudar e não apenas em vender e por sua comissão no bolso. Melhore a forma como se relaciona com o mundo e as vendas melhorarão imediatamente.
Fonte: Livro Como fazer amigos e influenciar pessoas – Dale Carnegie

 

Ação positiva

 

Os dias prósperos não vêm por acaso, nascem de muita fadiga e persistência. Henry Ford

Sub-categorias

EDIÇÃO nº 956 | 13/07/2018 EDIÇÃO nº 955 | 06/07/2018 EDIÇÃO nº 954 | 29/06/2018 EDIÇÃO nº 953 | 22/06/2018 EDIÇÃO nº 952 | 15/06/2018 EDIÇÃO nº 951 | 08/06/2018 EDIÇÃO nº 950 | 01/06/2018 EDIÇÃO nº 949 | 25/05/2018 EDIÇÃO nº 948 | 18/05/2018 EDIÇÃO nº 947 | 11/05/2018 EDIÇÃO nº 946 | 04/05/2018 EDIÇÃO nº 945 | 27/04/2018 EDIÇÃO nº 944 | 20/04/2018 EDIÇÃO nº 943 | 13/04/2018 EDIÇÃO nº 942 | 06/04/2018 EDIÇÃO nº 941 | 30/03/2018 EDIÇÃO nº 940 | 23/03/2018 EDIÇÃO nº 939 | 16/03/2018 EDIÇÃO nº 938 | 09/03/2018 EDIÇÃO nº 937 | 02/03/2018 EDIÇÃO nº 936 | 23/02/2018 EDIÇÃO nº 935 | 16/02/2018 EDIÇÃO nº 934 | 09/02/2018 EDIÇÃO nº 933 | 02/02/2018 EDIÇÃO nº 932 | 26/01/2018 EDIÇÃO nº 931 | 22/01/2018 EDIÇÃO nº 931 | 19/01/2018 EDIÇÃO nº 930 | 12/01/2018 EDIÇÃO nº 929 | 05/01/2017 EDIÇÃO nº 928 | 29/12/2017 EDIÇÃO nº 927 | 22/12/2017 EDIÇÃO nº 926 | 22/12/2017 EDIÇÃO nº 926 | 15/12/2017 EDIÇÃO nº 925 | 08/12/2017 EDIÇÃO nº 924 | 01/12/2017 EDIÇÃO nº 923 | 24/11/2017 EDIÇÃO nº 922 | 17/11/2017 EDIÇÃO nº 921 | 10/11/2017 EDIÇÃO nº 920 | 03/11/2017 EDIÇÃO nº 919 | 27/10/2017 EDIÇÃO nº 918 | 20/10/2017 EDIÇÃO nº 917 | 13/10/2017 EDIÇÃO nº 916 | 06/10/2017 EDIÇÃO nº 915 | 29/09/2017 EDIÇÃO nº 914 | 22/09/2017 EDIÇÃO nº 913 | 15/09/2017 EDIÇÃO nº 912 | 08/09/2017 EDIÇÃO nº 911 | 01/09/2017 EDIÇÃO nº 910 | 25/08/2017 EDIÇÃO nº 909 | 18/08/2017 EDIÇÃO nº 908 | 11/08/2017 EDIÇÃO nº 907 | 04/08/2017 EDIÇÃO nº 906 | 28/07/2017 EDIÇÃO nº 905 | 21/07/2017 EDIÇÃO nº 904 | 14/07/2017 EDIÇÃO nº 903 | 07/07/2017 EDIÇÃO nº 902 | 30/06/2017 EDIÇÃO nº 901 | 23/06/2017 EDIÇÃO nº 900 | 16/06/2017 EDIÇÃO nº 899 |09/06/2017 EDIÇÃO nº 898 | 02/06/2017 EDIÇÃO nº 897 | 26/05/2017 EDIÇÃO nº 896 | 19/05/2017 EDIÇÃO nº 895 | 12/05/2017 EDIÇÃO nº 894 | 05/05/2017 EDIÇÃO nº 893 | 28/04/2017 EDIÇÃO nº 892 | 21/04/2017 EDIÇÃO nº 891 | 14/04/2017 EDIÇÃO nº 890 | 07/04/2017 EDIÇÃO nº 889 | 31/03/2017 EDIÇÃO nº 888| 24/03/2017 EDIÇÃO nº 887 | 17/03/2017 EDIÇÃO nº 886 | 10/03/2017 EDIÇÃO nº 885 | 03/03/2017 EDIÇÃO nº 884 | 24/02/2017 EDIÇÃO nº 883 | 17/02/2017 EDIÇÃO nº 882 | 10/02/2017 EDIÇÃO nº 881 | 03/02/2017 EDIÇÃO nº 880 | 27/01/2017 EDIÇÃO nº 879 | 23/01/2017 EDIÇÃO nº 878 | 13/01/2017 EDIÇÃO nº 877 | 09/01/2017 EDIÇÃO nº 876 | 30/12/2016 EDIÇÃO nº 875 | 23/12/2016 EDIÇÃO nº 874 | 16/12/2016 EDIÇÃO nº 873 | 12/12/2016 EDIÇÃO nº 872 | 02/12/2016 EDIÇÃO nº 871 | 25/11/2016 EDIÇÃO nº 870 | 18/11/2016 EDIÇÃO nº 869 | 11/11/2016 EDIÇÃO nº 868 | 04/11/2016 EDIÇÃO nº 867 | 28/10/2016 EDIÇÃO nº 866 | 21/10/2016 EDIÇÃO nº 865 | 14/10/2016 EDIÇÃO nº 862 | 24/09/2016 EDIÇÃO nº 861 | 16/09/2016 EDIÇÃO nº 860 | 09/09/2016 EDIÇÃO nº 859 | 02/09/2016 EDIÇÃO nº 858 | 26/08/2016 EDIÇÃO nº 855 | 22/08/2016 EDIÇÃO nº 854 | 29/07/2016 EDIÇÃO nº 853 | 22/07/2016 EDIÇÃO nº 852 | 15/07/2016 EDIÇÃO nº 851 | 08/07/2016 EDIÇÃO nº 850 | 01/07/2016 EDIÇÃO nº 849 | 24/06/2016 EDIÇÃO nº 848 | 17/06/2016 EDIÇÃO nº 847 | 10/06/2016 EDIÇÃO nº 846 | 03/06/2016 EDIÇÃO nº 845 | 27/05/2016 EDIÇÃO nº 844 | 20/05/2016 EDIÇÃO nº 843 | 13/05/2016 EDIÇÃO nº 842 | 06/05/2016 EDIÇÃO nº 841 | 29/04/2016 EDIÇÃO nº 840 | 22/04/2016 EDIÇÃO nº 839 | 15/04/2016 EDIÇÃO nº 838 | 08/04/2016 EDIÇÃO nº 837 | 01/04/2016 EDIÇÃO nº 836 | 25/03/2016 EDIÇÃO nº 835 | 19/03/2016 EDIÇÃO nº 834 | 11/03/2016 EDIÇÃO nº 833 | 04/03/2016 EDIÇÃO nº 832 | 26/02/2016 EDIÇÃO nº 831 | 18/02/2016 EDIÇÃO nº 830 | 12/02/2016 EDIÇÃO nº 829 | 05/02/2016 EDIÇÃO nº 828 | 29/01/2016 EDIÇÃO nº 827 | 22/01/2016 EDIÇÃO nº 826 | 15/01/2016 EDIÇÃO nº 825 | 08/01/2016 EDIÇÃO nº 824 | 01/01/2016 EDIÇÃO nº 823 | 25/12/2015 EDIÇÃO nº 822 | 18/12/2015 EDIÇÃO nº 821 | 11/12/2015 EDIÇÃO nº 820 | 04/12/2015 EDIÇÃO nº 819 | 27/11/2015 EDIÇÃO nº 818 | 20/11/2015 EDIÇÃO nº 817 | 13/11/2015 EDIÇÃO nº 816 | 06/11/2015 EDIÇÃO nº 815 | 30/10/2015 EDIÇÃO nº 814 | 23/10/2015 EDIÇÃO nº 813 | 16/10/2015 EDIÇÃO nº 812 | 09/10/2015 EDIÇÃO nº 811 | 02/10/2015 EDIÇÃO nº 810 | 25/09/2015 EDIÇÃO nº 809 | 18/09/2015 EDIÇÃO nº 808 | 11/09/2015 EDIÇÃO nº 807 | 04/09/2015 EDIÇÃO nº 806 | 28/08/2015 EDIÇÃO nº 805 | 21/08/2015 EDIÇÃO nº 804 | 14/08/2015 EDIÇÃO nº 803 | 07/08/2015 EDIÇÃO nº 802 | 31/07/2015 EDIÇÃO nº 801 | 24/07/2015 EDIÇÃO nº 800 | 17/07/2015 EDIÇÃO nº 799 | 10/07/2015 EDIÇÃO nº 798 | 26/06/2015 EDIÇÃO nº 797 | 19/06/2015 EDIÇÃO nº 796 | 12/06/2015 EDIÇÃO nº 795 | 05/06/2015 EDIÇÃO nº 794 | 29/05/2015 EDIÇÃO nº 793 | 22/05/2015 EDIÇÃO nº 792 | 15/05/2015 EDIÇÃO nº 791 | 07/05/2015 EDIÇÃO nº 790 | 01/05/2015 EDIÇÃO nº 788 | 17/04/2015 EDIÇÃO nº 787 | 10/04/2015 EDIÇÃO nº 786 | 03/04/2015 EDIÇÃO nº 785 | 27/03/2015 EDIÇÃO nº 784 | 20/03/2015 EDIÇÃO nº 781 | 20/02/2015 EDIÇÃO nº 779 | 06/02/2015 EDIÇÃO nº 778 | 30/01/2015 EDIÇÃO nº 777 | 23/01/2015 EDIÇÃO nº 776 | 16/01/2015 EDIÇÃO nº 775 | 09/01/2015