topo

Postado em 22 de Janeiro às 15h58

MENSAGEIRO SEGURO 1088

Institucional (120)
Certa Corretora de Seguros e Certificação Digital - Chapecó/SC Mensageiro Seguro Número 1.088 – Ano XIV – 22/01/2021 Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros Ltda....

Mensageiro Seguro
Número 1.088 – Ano XIV – 22/01/2021
Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros Ltda. Edição: Samara Braghini

Leia nesta edição do Mensageiro Seguro


1. Onde você estava na crise?
2. Continuidade do DPVAT é essencial para as vítimas do trânsito
3. Mesmo na crise, brasileiro não abre mão de plano de saúde
4. Saúde: Comer muito açúcar
5. Orientação segura: Planejamento, digitalização e atendimento: o futuro da indústria em 2021
6. Ação Positiva


1. Onde você estava na crise?

O digital é um dos grandes vencedores da pandemia. Não porque ele tenha se reinventado, dado um grande salto, redescoberto a pólvora. O digital já estava aqui, pronto para este momento. E entregou muito mais do que esperávamos.

O trabalho, a educação, a arte e até o amor ficaram digitais. Tenho jantado direto com meu filho, e ele mora em Nova York. Combinamos o jantar, definimos o menu e compartilhamos o prato e a vida no horário marcado, cada um na sua tela. Podíamos fazer isso há anos, a tecnologia já existia. O que mudou foram as circunstâncias. Então não é a tecnologia, é o que fazemos com ela. O vetor não é o digital, é a gente.

Já foi dito que o mal não traz somente o mal e o bem não traz somente o bem. As crises são muito custosas para serem desperdiçadas. Muitas pessoas e empresas estão mudando por absoluta necessidade. E isso é bom para elas.

A pandemia é terrível, mas pode fortalecer. Neste momento, todas as estruturas doentes são grupos de risco para qualquer organização. É preciso cortar o que já não funcionava, mas era tolerado por razões que a própria razão desconhece. É hora de tomar medidas duras e restabelecer o espírito do fundador por trás de cada negócio. É hora de parar e fazer a seguinte análise: as pessoas ainda estão querendo o que tenho para oferecer? Se não, o que posso fazer diferente?

Boa parte das empresas vai paulatinamente se afastando do espírito fundador e se torna especialista em reunião e PowerPoint. A Apple se afastou tanto do espírito de Steve Jobs que chegou a afastar o próprio Steve Jobs. A companhia quase morreu. Jobs voltou, e o resto é história.

Já trabalhei com todo tipo de cliente, e sei quando a empresa começa a se meter em confusão. É quando ela olha mais para si do que para fora, quando ela estabelece processos decisórios gongóricos, de tomar uma decisão sobre tomar uma decisão sobre tomar uma decisão... As crises exigem rapidez, sentir rapidamente para que lado vai o cliente e mudar.

A gravidade e a solenidade dessa crise trouxeram também uma série de componentes de volta à sala, como a sabedoria, o bom senso e a morte. Quando o ser humano começava a se imaginar vivendo 120 anos, a morte voltou gritando presente. Brutal assim. Podemos morrer fortuitamente ao levar a mão ao rosto, entrar num ambiente sem máscara, pegar um objeto sem o devido cuidado.

Esse elemento mortal vai levar as pessoas a tomar decisões com mais rigor e propriedade. Em vez de comprar uma bolsa ou um carro novo, por exemplo, podem preferir uma viagem inspiradora, um curso transformador.

Este é o momento de olhar as coisas com outro olhar. Se puder, contrate (ou leia) um antropólogo, um sociólogo, alguém capaz de entender transformações na sociedade ampla, não apenas no seu mercado. A crise será vencida por aqueles que entenderem este momento e o seu papel neste momento. Seu papel na casa, na família, na empresa, na sociedade, no planeta.

Passado isso tudo, o público vai perguntar: O que vocês fizeram por mim? Onde estavam na crise? Muita gente e muita empresa responderão de peito aberto e cabeça erguida. Aos que ainda não podem fazer isso, há tempo para realizar coisas relevantes. Se não tiver recursos materiais, dê tempo e esforço, muito valiosos.

Você se lembra a vida inteira da pessoa que lhe ajudou num momento crítico. E não esquece quem não fez nada na hora da precisão. Eu nunca me esqueci de quem investiu em mim quando eu não era nada. Aqueles que se posicionaram de maneira contundente a favor de quem precisa terão dianteira enorme nos corações e nas mentes das pessoas quando esta crise passar. E ela vai passar.
Por Nizan Guanaes, empreendedor

2. Continuidade do DPVAT é essencial para as vítimas do trânsito

A Mobilização Nacional dos Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito recebe com alívio a notícia da continuidade do Seguro DPVAT, que passa a ser administrado pela Caixa Econômica Federal. O anúncio foi feito no dia 16 de janeiro pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Em novembro foi anunciada a dissolução do Consórcio que gerenciava o DPVAT e as incertezas sobre a continuidade do serviço causaram alerta na entidade. “O DPVAT é um seguro social e democrático indispensável para as pessoas que vivem em situação de pobreza no nosso país. Sem o seguro, haveria uma verdadeira tragédia social, já que o seguro é o único amparo para milhares de brasileiros em situação de vulnerabilidade social que sofrem acidentes”, afirma o coordenador da Mobilização Nacional de Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito e diretor da Associação Mineira de Medicina do Tráfego (AMMETRA), Alysson Coimbra.

Todos os sinistros ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2021 serão recebidos pela Caixa. Os ocorridos até o último dia de 2020 continuam sendo administrados pela Seguradora Líder. Ainda de acordo com o comunicado, as solicitações de indenização poderão ser feitas nas agências da Caixa. É preciso apresentar a documentação requerida por lei e o pagamento, quando a indenização for aprovada, é feito em até 30 dias em uma Conta Poupança Social Digital da Caixa, no CAIXA Tem, em nome da vítima ou dos beneficiários, dependendo do caso.

Hoje, o DPVAT paga uma indenização de R$ 13.500 em casos de morte; de até R$ 13.500 em casos de invalidez permanente. Para reembolso de despesas médicas e hospitalares, o valor é de R$ 2.700. “Os valores podem parecer pequenos, mas se considerarmos que muitos beneficiários não têm recursos para custear enterros dos entes queridos, entendemos a importância social do benefício”, afirma Coimbra. Segundo o médico, o DPVAT é indispensável, principalmente para as pessoas que vivem em situação de pobreza.

O contrato entre a Susep e a Caixa atende a uma determinação do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), que, obedece a uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU). O seguro é cobrado de todos os proprietários de veículos e indeniza todas as vítimas do trânsito sem distinção, sejam elas pedestres, ciclistas, passageiros ou motoristas, cobrindo despesas médicas, concedendo indenizações em caso de morte e de invalidez permanente. “No Brasil, 70% da frota circula sem um seguro privado.

Dentro desse contexto, o DPVAT tem papel social indispensável. Além disso, 50% do valor arrecadado com o pagamento é repassado à União. Deste total, 45% são destinados ao SUS e 5%, ao Denatran, para a realização de campanhas de prevenção a acidentes”, finaliza Coimbra. Fonte: Segs

3. Mesmo na crise, brasileiro não abre mão de plano de saúde

Saúde suplementar ganha 560 mil novos beneficiários em 2020, primeira alta em seis anos.

Mesmo em meio à forte crise causada pela pandemia, os planos de saúde brasileiros registraram aumento de 560 mil beneficiários em 2020. Trata-se de alta de 1,2%, a primeira no setor desde 2014, conforme prévia de dados divulgada hoje pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Apenas no mês de dezembro, foram 179 mil novos beneficiários na saúde suplementar. São agora 47,6 milhões de pessoas atendidas.

Segundo Vera Valente, diretora executiva da FenaSaúde, “o resultado positivo demonstra que as pessoas, cada vez mais, reconhecem a importância da saúde suplementar e, mesmo em meio a uma crise como a atual, buscam acesso à qualidade da assistência prestada pelos planos e seguros de saúde privados”.

O intuito das operadoras da saúde suplementar é que ainda mais usuários possam contar com um plano de saúde privado. Esse tem sido o esforço das empresas associadas à FenaSaúde, no sentido de tornar seus produtos mais aderentes às necessidades de uma população heterogênea como a nossa e mais acessíveis num mercado de trabalho cada vez mais marcado pela informalidade.

O ‘Boletim Covid-19’, divulgado pela ANS, também mostrou que, em dezembro, a utilização dos planos de saúde pelos beneficiários voltou a subir e superou o patamar de um ano antes. Isso significa que os beneficiários estão usando o sistema privado mais do que usavam antes da pandemia, revertendo a expressiva queda relacionada com o novo coronavírus registrada no primeiro semestre do ano passado.

A sinistralidade – isto é, o percentual de receita operacional da saúde suplementar consumida para pagar os custos de assistência – chegou a 80% no último mês de 2020. Em junho passado, batera no piso de 62%, conforme a ANS.

Como exemplos, em dezembro a ocupação de leitos para atendimento à covid-19 alcançou o maior índice do ano e, pela primeira vez em 2020, a taxa de ocupação geral de leitos ficou acima do verificado no mesmo período em 2019. Serviços de apoio diagnóstico cresceram mais de 9% em relação a um ano antes.

A ANS também informou que, em dezembro, houve queda de 15,2% no total de demandas de reclamação de consumidores (assistenciais e não-assistenciais) registradas nos seus canais de atendimento em comparação ao mês anterior. Especificamente nos casos relacionados ao coronavírus, a redução desde julho chega a 66%, para apenas 1.173 reclamações num universo de 47,6 milhões de usuários.

Registre-se também que, segundo a ANS, 1,7 milhão de exames do tipo RT-PCR para detecção da covid e 235 mil exames sorológicos de identificação de anticorpos da doença foram cobertos pelos planos desde o início da pandemia.
Fonte: MAPA

4. Saúde: Comer muito açúcar

A glicose funciona como o "acelerador" de energia para o cérebro. Você precisa de glicose para se concentrar em tarefas desafiadoras.

Com pouca glicose, você se sente cansado, desconcentrado e lento; muita glicose deixa você trêmulo e sem conseguir se concentrar. Pesquisas mostraram que o limite de açúcar é de 25 gramas de glicose. A armadilha é que você pode até consumir essas 25 gramas de glicose de qualquer forma que queira e se sentir do mesmo jeito - pelo menos inicialmente. Mas a diferença está em quanto que a produtividade durará. Pão doce, refrigerante e outras formas de açúcar refinado levam à um impulso de energia que dura apenas 20 minutos, enquanto que mingau de aveia, arroz integral, e outras comidas que contêm carboidratos complexos liberam energia lentamente, o que permite que você sustente seu foco. Fonte: Minha Vida

5. Orientação segura: Planejamento, digitalização e atendimento: o futuro da indústria em 2021

De acordo com uma pesquisa realizada pelo IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), organização profissional técnica dedicada ao avanço da tecnologia, 19% dos respondentes acreditam que a indústria será um dos segmentos mais impactados pela tecnologia em 2021.

Ainda que a indústria seja um setor conservador, os dados comprovam o impacto da pandemia na digitalização do setor. 2020 trouxe grandes aprendizados para a indústria como um todo, pois o setor passa a enxergar que o caminho para a Indústria 4.0 começa com a transformação digital, e que pranchetas e planilhas não combinam mais com a fábrica do futuro. Com grande parte do time trabalhando à distância, os gestores conseguiram quebrar o paradigma de que tudo precisa ser feito presencialmente, além de perceber que a tecnologia agiliza a troca de informações, ainda mais considerando a redução de quadro que a maioria das empresas tiveram que fazer.

Observamos para 2021, ainda que num cenário incerto, um foco e atenção muito grande da indústria para três principais pontos: digitalização, planejamento e agilidade no atendimento.

1) Digitalização: A Consultoria McKinsey prevê que, até 2025, processos relativos à Manufatura Avançada poderão diminuir custos de manutenção de equipamentos em até 40%, reduzir o consumo de energia em até 20% e, ainda, aumentar a produtividade do trabalho na indústria em até 25%. A corrida para acelerar processos manuais começou de forma gradual e deve crescer em 2021. A grande ressalva é a importância do treinamento dos funcionários. De nada adianta as empresas investirem nas melhores tecnologias disponíveis sem ter cuidado com treinamento. Ele é crucial para conscientizar o time sobre a percepção real dos ganhos para o negócio, além de alcançar todo potencial das tecnologias adotadas.

2) Planejamento: Outro fator importante que deve ter mais atenção esse ano, é o planejamento da produção, que se torna mais estratégico, pois permite visualizar a capacidade que a indústria tem de atender a demanda do mercado e ter a visibilidade de processos dentro da fábrica.

Com uma ferramenta de MRP (Material Requirement Planning), por exemplo, é possível simular cenários e analisar o impacto de um novo pedido, calcular prazos, avaliar como vai atender determinado cliente, o que impacta toda a produtividade do dia a dia da indústria. Esse tipo de sistema ainda considera o estoque insuficiente ou em excesso (ajudando a reduzir perdas), compras equivocadas de insumos e controle do fluxo de caixa.

Um exemplo prático: o varejo foi impulsionado no último ano pelo atendimento “policanal”, impactando diretamente a indústria. As empresas que não estavam preparadas para atender o aumento dessa demanda provavelmente deixaram de entregar o produto para o consumidor final. E é por isso que é essencial simular cenários e capacitar a cadeia de suprimentos a trabalhar com condições menos previsíveis. Quanto mais estruturado estiver o processo de planejamento, melhor será a performance da indústria.

3) Agilidade no atendimento aos clientes: Se o mercado está mais digital, com consumidores mais exigentes e imediatistas, independente do setor, a real transformação digital exige agilidade e preparação. Os clientes vão buscar por empresas mais rápidas, com fretes mais baratos e insumos com pronta-entrega. Sendo assim, esse ponto está ligado aos demais citados para se conseguir vantagem competitiva frente aos concorrentes.

Portanto, é fundamental estudar as dores e exigências de seu cliente para então criar estratégias realmente qualitativas. Vale lembrar que o cliente atual busca, na maioria das vezes, por soluções digitais. Isso significa que seu serviço de atendimento deve dar todo suporte necessário para esse consumidor prosseguir com a compra. Se ele não se sentir seguro, dificilmente fechará ou manterá um negócio com a sua indústria.

Líderes de TI, gestores e tomadores de decisão, para que a Indústria 4.0 realmente aconteça no Brasil é crucial considerar esses pontos. Que a soma de aprendizados e as tecnologias adequadas mudem o patamar da indústria brasileira em 2021.
Por Angela Gheller, diretora de indústria, logística e agroindústria da TOTVS

6. Ação Positiva

"Mais do que qualquer outro fator, é da persistência que o sucesso precisa para acontecer." Ralph Marston

Certa Seguros
Av. Getulio Vargas 1403N Sala 201
Ed. Don Ricardo
Centro, Chapecó/SC
certa@certacorretoradeseguros.com.br
(49)3321-1100???


Veja também

Mensageiro Seguro 107630/10/20 Ano XIV – 30/10/2020 - Edição 1.076 Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros Ltda. Edição: Samara Braghini Leia nesta edição do Mensageiro Seguro 1.Diminuir custo ou diminuir risco? 2.A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) na prática 3.Pandemia e home office fazem crescer procura......
Mensageiro Seguro 97630/11/18 Emoções inteligentes Compreender os próprios sentimentos e lidar com eles da melhor forma possível é algo vantajoso para liderar no universo corporativo e para a vida. “Emoção inteligente é......
Mensageiro Seguro 100812/07/19 Há um entardecer chuvoso em todos nós Quantas vezes olhamos para além da janela e nos confrontamos com o tempo frio, chuvoso e com nuvens escuras que parecem esconder o sol e torcemos ansiosamente para que o tempo mude e a alegria......

Voltar para Blog