topo

Postado em 04 de Junho às 17h32

MENSAGEIRO SEGURO 1107

Institucional (129)
Certa Corretora de Seguros e Certificação Digital - Chapecó/SC Mensageiro Seguro Número 1.107 – Ano XIV – 04/06/2021 Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros...

Mensageiro Seguro
Número 1.107 – Ano XIV – 04/06/2021
Publicação Semanal da Certa Administradora e Corretora de Seguros Ltda.
Edição: Samara Braghini



Leia nesta edição do Mensageiro Seguro


1. Mentalidade digital em qualquer idade
2. 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente
3. Na Sala do Futuro, jovens têm aula especial sobre seguros
4. O mercado de seguros é destaque no anuário do “Valor Econômico”
5. Saúde: Varizes: não é só uma questão de estética
6. Orientação segura: O que você tem em mente?
7. Ação Positiva



Mentalidade digital em qualquer idade


Quando criei o termo “digiriatria” (digi de digital + riatria de geriatria), alertava às pessoas da minha geração sobre a importância da digitalização como forma de acompanhar os pensamentos dos mais jovens e se adaptar às novas relações. Hoje, depois de alguns anos e considerando os efeitos da pandemia, alerto àqueles que não se atualizaram que, infelizmente, eles já ficaram para trás.

A sobrevivência de uma pessoa mais velha hoje tem, obrigatoriamente, que passar pela digitalização. Nós que nascemos no século XX, somos no máximo imigrantes digitais, enquanto a nova geração é nativa. Eles não vivem mais a separação do online e do off-line, do real e do virtual. Eles apenas vivem e, para eles, o mundo é o mundo!

Esta geração que está aí já olha com naturalidade para o futuro muito próximo cercado por robôs e internet das coisas. E será cada vez mais comum nos depararmos com meninos de 16 anos com um grau de desempenho altíssimo que avançam na descoberta para a cura para o HIV, meninas de 14 anos que desenvolvem aplicativos para resolver a falta de água no mundo. Teremos gênios em todas as áreas. Sempre digo que parece que eles nasceram em outra galáxia. São espiritualizados, cristais raros que mudarão o mundo.

Sim, o mundo mudou bem na minha vez! Nunca na história humana os adultos tiveram que entender os jovens. Agora, nós temos não só que entendê-los, mas aceitá-los, conviver e principalmente aprender com eles. Então, vamos encarar o fato de que eles serão nossos chefes antes mesmo do que imaginamos? Isso porque, diferente de nós, as gerações nascidas neste século – que representa também um novo milênio -, erram até acertar. Não têm medo. Aplicam a experiência do game em suas vidas até avançarem de fase.

Na nossa época, a gente escalava degrau por degrau para subir na carreira. Nossa geração desejava chegar no topo com todos os aparatos de quando eu era jovem: carro da firma, secretária e escritório. O líder hoje tem que ser democrático, ouvir os subordinados. E isso é muito difícil para minha geração, assim como trabalhar em rede e delegar poder.

Mas como Darwin já dizia: “não é o maior, não é o mais rápido, não é o mais forte e sim aquele que melhor se adaptar que vai sobreviver”. Então por que os mais velhos ainda têm medo de se digitalizar? De fracassar primeira experiência geralmente não é boa e ele nesta tarefa? É como o virgem diante do sexo. A diz para si que aquilo não é para ele. Aí, em sua volta, as pessoas começam a falar que é bom e um dia surge uma pessoa que o ensina. E ele vicia! Não consegue mais viver sem. E pronto: digitalizou!

A mentalidade, e não a idade, é o que diferencia a gente hoje. No século XX, jovem era aquele aberto ao novo, e o velho, o resistente a mudança. Eu sou uma pessoa jovem. Posso até ter uma barriguinha, mas meu cérebro é de tanquinho porque passei pelo processo de “digiriatria” e vivo uma vida normal no século XXI.

E por que eu falo tanto sobre se digitalizar? Porque um adulto hoje não pode ser igual ao do século passado. O velho antigamente era chato porque ele acreditava que não ia durar. Se a pessoa passasse de 60 anos seria bônus. Então, por que ele mudaria? Hoje, eu ainda vou viver mais umas quatro décadas. E quem vai aguentar um cara chato por mais esse tempo todo se eu não me modernizar? Dado Schneider, doutor em Comunicação, escritor e palestrante


05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente


05 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente, que tem como foco estimular a sociedade a preservar o meio ambiente. E respeitar é o começo para preservar. A Semana do Meio Ambiente é caracterizada por divulgar este dia, da qual a sociedade e as organizações são estimuladas de forma mais atenta, aos hábitos sustentáveis e responsáveis.

Devido a isto, o SindsegSC – Sindicato das Seguradoras oferece algumas dicas informativas e instrutivas, para estimular o mercado de seguros e a sociedade em geral a preservar, cuidar da natureza e de todo planeta. Você como cidadão pode ajudar o planeta da seguinte forma: Diminua o consumo de água e energia: utilize somente o necessário, cuidando para que não ocorra desperdícios e excessos; Reduza, reutilize e recicle seu lixo: do orgânico ao metal, fique atento ao seu descarte e se há possibilidade de reutilizar. Também não jogue seu lixo nas ruas e nos rios; Ao sair de casa, leve sua garrafa de água ou seu canudo de metal reutilizáveis. Descarte seu lixo nos locais corretos; Tentar evitar andar de carro quando pode ir a pé, de bicicleta ou outro meio menos poluente; Evite comprar o desnecessário para evitar maior quantidade de lixo, e se comprar considere escolher o produto feito por empresas responsáveis; Plante árvores, cuide e preserve o meio ambiente.

Você no trabalho ou no Home Office, pode se policiar: Indo ao trabalho com um veículo não poluente; Utilizando seu próprio copo ou caneca, ao invés de utilizar copos descartáveis; Reutilizando papéis, usando seu verso como rascunho de anotações; Separando o lixo corretamente para reciclagem; Desligando os aparelhos eletrônicos quando não utilizados, gerando menos gastos excessivos de energia.

Você como empresa pode preservar o meio ambiente cuidando do local e instruindo os colaboradores: Trabalhando e apoiando os projetos de sustentabilidade; Oferecendo cursos e workshops gratuitos sobre reciclagem doméstica; Com lives sobre conscientização para o consumo sustentável; Havendo plantio de mudas de árvores no terreno da organização; Realizando a limpeza de hortas e jardins da empresa. Fonte: SindsegSC – Sindicato das Seguradoras


Na Sala do Futuro, jovens têm aula especial sobre seguros


Estar preparado financeira e emocionalmente para lidar com situações imprevisíveis, pensar na aposentadoria e saber lidar com lucros e dividendos. Esses não são temas de conversas somente de adultos, são assuntos também para adolescentes e jovens.

Pensando na importância da educação financeira e no incentivo ao conhecimento dos produtos de seguro como garantia em momentos inesperados da vida, a ENS, em parceria com Instituto Ciro Queiroz (ICQ), recebeu, no dia 21 de maio, na Sala do Futuro, alunos do projeto Formação de Jovens Aprendizes em Tecnologia com foco em Seguros.

Ogrupo recebeu orientações e esclarecimentos sobre seguros de pessoas, previdência privada e educação financeira. Os professores Thiago Torres e Adriana Torres comandaram a aula, que abordou conceitos sobre seguros, diferenças entre seguro individual e coletivo, importância do seguro de vida, como escolher a cobertura certa, o que é previdência privada, por que fazê-la e quais as vantagens.

Gastos necessários, supérfluos e desperdício - “Nosso objetivo foi fazer com que eles entendessem a importância desses produtos para o planejamento de longo prazo e para dar tranquilidade no curto prazo para situações que podem ocorrer diariamente, sejam elas imprevisíveis, involuntárias e, muitas vezes, circunstâncias que se tornam permanentes”, comentou o professor Thiago, que também é corretor de seguros e tem ampla experiência no mercado.

Os jovens foram instigados a questionar o rumo de suas economias, a finalidade do dinheiro e no que consiste a educação financeira. A professora Adriana Torres orientou a turma sobre o direcionamento de gastos e poupança, fazendo uma simulação de controle de contas do mês a fim de exemplificar gastos necessários, supérfluos e o que pode ser considerado desperdício.

“A ideia de se educar financeiramente é pôr no papel realmente o somatório de suas contas mensais, se perguntar se todos os gastos foram necessários, saber diferenciar desejos de necessidades e poupar para investir. Procuramos mostrar a eles o papel do planejamento financeiro com esses produtos de seguro, que é proteger-se a todo momento”, explicou Adriana. Fonte: ENS

O mercado de seguros é destaque no anuário do “Valor Econômico”


O jornal “Valor Econômico” publicou, como encarte em sua edição de 31 de maio o anuário “Valor Financeiro – Seguros, Previdência e Capitalização”, apresentando ampla cobertura sobre o mercado de seguros.

A publicação anual indica, com base em números fornecidos pela CNseg, que em 2019, o setor movimentou R$ 270,16 bilhões (excluindo DPVAT e Seguro Saúde), registrando o maior avanço nominal em 10 anos, de 12,1%, e gerando a expectativa de um 2020 também positivo, mesmo com desaceleração por conta da pandemia. Entretanto, a crise epidemiológica “acertou em cheio o mercado segurador”.

Em entrevista ao anuário, o Presidente da CNseg, Marcio Coriolano, afirmou que, “em períodos de dificuldades, acende a luz vermelha e alguns produtos são mais demandados na busca por proteção ao patrimônio e à família”. E complementou: “É digno de nota que os seguros sempre foram resilientes. Nos últimos 10 anos, mesmo com períodos de recessão severa, o crescimento chegou a 45,7%, descontada a inflação do IPCA, com uma taxa anual média real de 3,8%.”

Segundo Coriolano, o que ajudou as seguradoras a enfrentar 2020 foi o fato de que já tinham feito o “’dever de casa’, ajustando a operação a um cenário de Selic baixa, que impacta no retorno de suas aplicações”. ”Porque já tinham reduzido os seus custos, investido em tecnologia para melhorar processos e rotinas e ajustado as tarifas”, destacou.

A matéria sobre o que o seguro suporta a sociedade informa que Saúde e Vida foram os segmentos que pagaram mais indenizações em 2020. De acordo com dados da CNseg (excluindo DPVAT e Seguro Saúde), o setor segurador pagou R$151 bilhões em indenizações, benefícios, sorteios e resgates em 2020, valor 8,3% superior a 2019. “Seguradoras multilinha, que também têm o seguro saúde, tiveram impacto maior na sinistralidade. Já as empresas mais expostas ao seguro-auto, tiveram um resultado melhor, com a sinistralidade recuando”, afirmou o Presidente da CNseg.

Abordando a “revolução digital que redesenha o setor”, o “Valor” entrevistou a Superintendente da Susep, Solange Vieira, que afirmou: “A regulação precisa ser mais flexível e o papel do regulador é permitir que o mercado cresça, inove e melhore a jornada do cliente. Não temos que interferir na vida das seguradoras em sua capacidade de inovação.”

Considerando positiva a agenda de desregulamentação da Susep, afirmando ser um antigo pleito do setor, Coriolano disse que “o movimento permite desonerar as seguradoras, aumentar a competição e o desenvolvimento de produtos de forma mais rápida, sem a necessidade do carimbo do regulador em seus produtos”.

O encarte com o anuário "Valor Financeiro" também trouxe um anúncio da CNseg (ver abaixo), de página inteira, apresentando a “Conjuntura CNseg” como uma publicação inovadora e amigável que abrange “um universo de temas qualificados sobre seguros, previdência privada, saúde suplementar e capitalização" e, também, o portal da CNseg (cnseg.org.br), no qual “se pode ficar mais informado sobre as regras, os principais conceitos, coberturas e a importância de um setor que entende de proteção".
Fonte: Segs


Saúde:
Varizes: não é só uma questão de estética


O sistema circulatório divide-se em três partes: o venoso, o arterial e o linfático. Quando falamos em “problema de circulação” é necessário esclarecer qual deles, pois o quadro clínico, o diagnóstico e o tratamento diferem entre os três.

Varizes dos membros inferiores envolvem patologia do sistema circulatório venoso que além de inconveniente estético, é indicativo de problemas venosos nos membros inferiores, que ao longo do tempo se não diagnosticados e tratados corretamente, certamente trarão complicações futuras.

Muitos fatores predispõe o surgimento das varizes, dentre eles, os mais comuns são: herança familiar, gestação, tipo de trabalho (muito tempo em pé ou sentado com pernas pendentes e atividades que exigem grande esforço físico), sedentarismo e obesidade.

Levando em conta todos esses fatores, temos que ressaltar a importância de se cuidar. Tenha cuidado com o seu peso, o ideal é manter o peso e tentar evitar o efeito sanfona, pratique atividade física e procure não ficar por muito tempo na mesma posição no seu trabalho, todas essas práticas associadas ao emprego de meias elásticas de compressão graduada podem ajudar a diminuir ou prevenir a ocorrência de varizes. Fonte: Hospital Albert Einstein

Orientação segura: O que você tem em mente?

É claro que você já deve saber que as suas atitudes são consequência das suas crenças. E as suas crenças são resultado dos pensamentos que você escolheu abrigar na sua mente e no seu coração. Eles comandam você mesmo que você não perceba. Então, pense por alguns segundos: o que você tem em mente?

A resposta que você encontrar pode indicar se você está mais perto do sucesso ou do fracasso. Para estar mais perto do sucesso, você precisa investir tempo escolhendo quem vai inspirar você, quem serão os seus modelos de vida e quem são aqueles parceiros que o ajudarão a chegar lá. E ainda terá que lutar, diariamente, contra uma infinidade de pensamentos negativos e situações desafiadoras, a fim de manter a sua mentalidade empreendedora.

Agora, para fracassar, é fácil: basta você deixar a sua vida lhe levar, não prestar atenção aos pensamentos que tomam conta de você e, tampouco, estar atento às consequências dos seus atos. É só manter a sua mente vazia. E , aí, o que você vai escolher? Fonte: Geração de Valor

Ação Positiva

"As companhias mais admiradas e mais rentáveis compartilham de um denominador comum: pessoas felizes." Richard Whiteley

 

Certa Seguros
Avenida Getulio Vargas 1403N Sala 201
Ed. Don Ricardo
Centro, Chapecó/SC
certa@certacorretoradeseguros.com.br
(49)3321-1100


Veja também

Mensageiro Seguro 97019/10/18 DPVAT – Grandes grupos financeiros lucram com indenizações congeladas há 11 anos O seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) foi criado em 1974, por meio da Lei nº 6.194, em substituição ao Recovat (Responsabilidade Civil Obrigatória de Veículos Automotores Terrestres), instituído em 1966,......
Mensageiro Seguro 99120/03/19 Seguradora Líder divulga principais números do DPVAT 2018 Em 2018, a Seguradora Líder pagou 328.142 indenizações do Seguro DPVAT a acidentados de trânsito e seus beneficiários. O número corresponde a......
Mensageiro Seguro 101606/09/19 Ferramentas que facilitam a implantação do RH Digital Com o avanço da tecnologia, certamente ninguém quer voltar para a fase em que o responsável pelo recrutamento sentava de frente a uma pilha de currículos......

Voltar para Blog