topo

Postado em 28 de Junho às 14h32

Mensageiro Seguro 1006

Institucional (65)
    Certa Corretora de Seguros e Certificação Digital - Chapecó/SC Assinatura digital agiliza serviços de escritório Pessoas e empresas podem utilizar recursos específicos para assinar arquivos digitalmente e com validade...

    Assinatura digital agiliza serviços de escritório

    Pessoas e empresas podem utilizar recursos específicos para assinar arquivos digitalmente e com validade jurídica. Escritórios usam essa e outras tecnologias para aprimorar processos.
    Perder horas em filas é o que torna as atividades burocráticas um peso na vida cotidiana, isso sem falar no trânsito durante o trajeto. Mas poder resolver a maioria dessas pendências online, sem sair do lugar, é uma realidade cada vez mais próxima. No ambiente corporativo, assinar digitalmente já é uma prática comum e até mesmo obrigatória, em alguns casos. Para o cidadão comum não há obrigatoriedade, mas caminhos mais simples para resolver tarefas consideradas desgastantes. A ferramenta é a mesma: o certificado digital.
    Nas versões e-CPF ou e-CNPJ, o certificado corresponde aos documentos oficiais do cidadão ou da empresa, em versão eletrônica. E se difere de outras formas de assinatura eletrônica por assegurar validade jurídica aos documentos em que se aplica. Antes de saber como a ferramenta funciona, porém, é preciso entender que toda assinatura digital é eletrônica, mas nem toda assinatura eletrônica é digital.
    As senhas utilizadas para acessar plataformas online, por exemplo, são consideradas assinaturas eletrônicas. Há também a assinatura digitalizada, que é a reprodução da assinatura escrita à mão, transformada em arquivo digital (imagem) por um scanner. Esse formato, porém, pode não ser aceito juridicamente. A assinatura digital, propriamente dita, é formada por algoritmos de criptografia assimétrica, que garantem segurança à autoria e não repúdio da assinatura e a integridade do documento.
    Além de poder assinar a distância, o certificado digital garante segurança em qualquer transação feita pela internet. Comprar online com ele, por exemplo, significa garantir que suas informações pessoais e financeiras não possam ser interceptadas por hackers. Também é possível facilitar a transmissão do Imposto de Renda à Receita Federal, solicitar a CNH digital totalmente online, sem ter que se dirigir a uma unidade do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), e até transferir um veículo. O antigo proprietário poderá comunicar a venda de forma online sem ter que comparecer aos postos físicos dos órgãos de trânsito. Ou seja, de forma geral, a ferramenta permite acessar portais públicos e privados com segurança e autenticidade.
    Para empresas, o certificado não é mais somente um recurso, mas uma obrigatoriedade. Para emissão de Nota Fiscal Eletrônica, transmissão de declarações, envio de informações trabalhistas ou qualquer outro contato com a Receita Federal, o acesso é feito, atualmente, somente pelo e-CAC, o portal online da instituição. “Com a implantação do e-social, todas as empresas passaram a necessitar do certificado digital para envio de informações, mesmo que cadastrais. Somente os microempresários individuais estão dispensados, desde que não emitam nota fiscal eletrônica e que não possuam empregados”, explica Abdeel Patini, diretor do grupo Patini, que administra condomínios.
    A utilização do e-CPF por profissionais liberais, como advogados e médicos, também pode ser fundamental para garantir o acesso a órgãos públicos específicos. E a tendência, segundo a especialista Natacha Colombo, proprietária da Segura Certificação Digital, é que a obrigatoriedade alcance todos os campos, na medida em que os processos públicos e privados migrem para o virtual. Dois exemplos são os laudos médicos online, que exigirão que o médico tenha seu e-CPF, e a Junta Comercial online, que vai exigir o documento para acesso. Assim, se várias pessoas se juntarem para abrir uma empresa, cada uma delas terá seu próprio certificado digital”, afirma.
    A tecnologia por trás da ferramenta
    A regulamentação da tecnologia de assinaturas digitais faz parte de um conjunto de normas do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITS), por meio da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileiras (ICP-Brasil), que viabiliza a emissão de certificados digitais para identificação virtual do cidadão. Com todo esse respaldo, a emissão do certificado digital é realizada por uma Autoridade Certificadora (AC).
    A assinatura digital é baseada em criptografia, que emprega algoritmos complexos e combina chaves públicas e privadas. Cada assinatura é associada a uma chave pública emitida por uma AC licenciada. Para assinar digitalmente é necessário possuir um certificado digital contendo a chave pública com validade de expiração, garantindo que nenhuma combinação se repita. Resumindo, a chave privada gera a assinatura e identifica o autor. O arquivo acompanha a chave pública, derivada da anterior e usada para conferir a validade da assinatura.
    Como qualquer documento, o certificado digital possui prazo de validade, que quando atingido deve ser renovado. Existem dois tipos de e-CPF, sendo as versões A1, cujo arquivo digital fica instalado em um computador e tem um ano de validade, e A3, sendo o arquivo instalado em mídia (cartão ou token), com validade de um a três anos. Fonte: ICP

    Mudança de planos


    Quando procuramos pela fórmula do sucesso é comum ouvir a frase “não desista”. A verdade é que desistir também pode ser bom em alguns casos. Muitas vezes seguimos uma rota, um caminho traçado quando ainda tínhamos uma visão diferente do mundo e da vida. Muitos planos são feitos em momentos de imaturidade ou de desconhecimento de como o mundo funciona. Por isso desistir pode ser uma boa ideia. Desde que seja no momento certo e que tenha um propósito por trás disso.
    Por exemplo, em algumas famílias é comum o filho ser incentivado a seguir a mesma carreira profissional do pai, mas anos depois de ter feito essa escolha ele descobre que não é o que ele ama. Por mais que algumas escolhas possam trazer dinheiro ou reconhecimento social e profissional, nem sempre são as que trazem a realização pessoal.
    Outros casos acontecem no mundo dos esportes. Algumas pessoas descobrem ainda criança terem um talento acima da média em algum tipo de modalidade. Elas passam anos desenvolvendo essas habilidades e deixando de lado outras experiências que seriam importantes para elas. Chega um ponto em que, cansados de competiçõe que eles não gostam, desistem para seguir outras carreiras longe do esporte.
    Em ambos os casos podemos encontrar um elemento em comum: o “custo de oportunidade”, ou seja, as oportunidades que você perde quando está imerso em algum tipo de tarefa. Como todos temos as mesmas 24 horas de tempo em um dia, quanto tempo passamos fazendo algo que não gostamos ou que não nos sentimos bem fazendo, oportunidades de empreender em atividades mais prazerosas e que lhe tragam mais felicidade são perdidas. É então que chegamos a uma pergunta importante: como você quer usar o seu tempo?
    Na história podemos encontrar casos notáveis de desistentes, que encontraram o sucesso quando decidiram utilizar o tempo disponível de outras formas. Steve Jobs talvez seja o caso mais conhecido. Ao desistir da universidade, ele dedicou o seu tempo para abrir uma empresa e, anos depois, ficou conhecido como o gênio por trás da Apple, a gigante do mundo da informática. No caso dele, desistir foi ótimo para a sua carreira! Pois aí que ele descobriu onde ele realmente deveria colocar toda a sua energia e esforço. Assim como aconteceu com Steve Jobs, para cada desistência, um novo foco pode se abrir em sua vida.
    Se tem algo que você faz hoje que você sente que não é mais o que quer e isso não vai trazer felicidade, pense na possibilidade de desistir. Não veja isso como um fracasso. Encare como uma forma de você terminar um ciclo para poder iniciar outro, mais bem-sucedido e, o mais importante de tudo, muito mais feliz! Ricardo Sturk - Eu Sem Fronteiras

    Mapa quer estimular agricultura digital
    para aumentar produtividade no campo


    Utilizar a precisão da agricultura digital para uniformizar o padrão de produtividade no Brasil, tendo como referência as culturas de soja, milho e algodão é a meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
    “A agricultura digital é a grande revolução daqui para a frente. Estamos em um limiar de processo de mudança de paradigma da agricultura e pecuária”, afirmou o secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Silveira Camargo, durante o Fórum Regional de Inovação Agropecuária, promovido pela ministério em Carambeí (PR).
    O fórum antecedeu a abertura da Digital Agro, feira promovida pela Frísia Cooperativa Agroindustrial. Essa foi a primeira edição do fórum, que deve acontecer em todas as regiões do país com o objetivo de mapear demandas e compor uma pauta para um evento nacional em 2020. Entre os desafios apontados por Camargo para a agricultura digital estão a desburocratização e o fomento a startups e a projetos que possam contribuir para o fortalecimento do ecossistema necessário para a inovação. O evento reuniu representantes de universidades, cooperativas, iniciativa privada e setor público.
    Segundo o secretário Fernando Camargo, não dá para falar em investimentos para a área sem a aprovação da Reforma da Previdência. “O Brasil quebrou. Neste momento, a gente tem que ter engenho e arte para fazer essas coisas. Não existe dinheiro para um grande investimento em inovação. Primeiro, temos que fazer o dever de casa e resolver o problema fiscal do país”, considerou. Fonte: Globo Rural

    Sinistro e carro: o que pesquisar em consultas
    veiculares para não cair em armadilhas


    Quem mora em grandes cidades, como é o caso de São Paulo, sabe muito bem a triste realidade do número de sinistros de veículos, diariamente. Milhares de carros e motos sofrem com roubos e furtos, vidros quebrados e outras avarias que podem deixar qualquer proprietário de orelha em pé.
    Outro dado não tão feliz desse mercado automotivo, é que muitos veículos que passam por sinistros, acabam sendo “adulterados” e voltam ao mercado, para recompra. Por isso, é muito importante que antes de efetuar uma nova aquisição, o cliente pesquise à fundo o histórico do carro e, se for o caso, identifique possíveis sinistros.
    Nas plataformas de pesquisas online, o consumidor consegue levantar, em poucos minutos, todos os dados de um veículo usado e não cair em armadilhas. Um indício de um carro sinistrado, é que seu valor de mercado é cerca de 30% mais barato do que um novo.
    Vale lembrar que o carro ter sinistro não é algo totalmente ruim, desde que você esteja ciente disso no ato da compra. Pois, futuramente, podem aparecer problemas e avarias que você (e seu bolso) não contavam. Itens como alinhamento e balanceamento, infiltrações ou falhas mecânicas também pode indicar sinistros.
    Por isso, é muito importante transformar recursos tecnológicos em aliados na hora de pesquisas o histórico de um veículo. Dessa forma, você garantirá que não foi enganado e comprou exatamente aquilo que estava ciente, sendo sinistrado ou não. Fonte: Segs

    Saúde
    Emagrecimento

    O emagrecimento saudável é resultado da redução da gordura corporal e não simplesmente do peso corporal, colaborando também com a melhora da saúde, prevenção de doenças e da aparência física.
    A reeducação alimentar é uma ótima ferramenta para a perda e manutenção de peso saudável. A American Dietetics Association (ADA) recomenda a distribuição dos macronutrientes em 25% a 35% de gorduras, 50% a 60% de carboidratos, 15% a 20% de proteínas e um consumo de fibras de 25g por dia. Uma dieta planejada individualmente e parte de um programa de emagrecimento deve criar um déficit de 500 a 1.000 kcal, objetivando uma meta realista com diminuição de 0,5 a 1 kg por semana. Uma dieta equilibrada associada com hábitos alimentares e modificação no estilo de vida é essencial no emagrecimento. Fonte: Hospital Albert Einstein

    Orientação segura
    Está estressado?

    O estresse faz parte da vida. Ele é parte importante no processo de nossa evolução, de não nos mantermos na zona de conforto. O problema é quando permitimos que ele afete nossos relacionamentos. E tudo começa pequeno, bem pequeno. A gente releva uma coisa aqui, outra ali, e, quando vê, está como um vulcão em erupção despejando fogo em quem está perto.
    Não precisa ser assim. Você pode ter uma vida mais leve. A cada momento de tensão, converse com quem é parte do problema ou parte da solução.Não empurre com a barriga.
    Escolha o pequeno desconforto do confronto agora ao grande estresse na relação depois. Afinal, para termos relacionamentos verdadeiros e profundos precisamos investir tempo e energia. E, acima de tudo, não abrirmos mão de andarmos lado a lado com quem é importante para nós. Fonte: Elisa Simões - Geração de Valor

    Ação Positiva

    São as palavras e as fórmulas, mais do que a razão, que criam a maioria dos nossos julgamentos." Gustave Le Bom

    Veja também

    Mensageiro Seguro 98028/12/18 Quão pesada é a sua bagagem? Imagine carregar uma mochila cheia de pedras por onde você for. Isso é cansativo! Isso dá um novo significado à frase “fazer o trabalho pesado. Se o peso dessa mochila parece demais para suportar, imagine o impacto da bagagem emocional que carregamos todos os dias! Temos medo de ser demitidos, reclamamos do serviço que......
    Mensageiro Seguro 99120/03 Seguradora Líder divulga principais números do DPVAT 2018 Em 2018, a Seguradora Líder pagou 328.142 indenizações do Seguro DPVAT a acidentados de trânsito e seus beneficiários. O número corresponde a......
    Mensageiro Seguro 95623/08/18 Homem X Máquina: o futuro do trabalho nas mãos  da espiritualidade e da humanidade                   Com a previsão de que apenas 4% da......

    Voltar para Blog